(Foto: Antônio Lima)

Denir SimplícioManaus (AM)

Conhecida pelos festejos de Santo Antônio, o município de Borba (distante 215 quilômetros de Manaus) também tem ganhado notoriedade no País graças ao caratê. Dos quatro atletas amazonenses convocados até hoje para a Seleção Brasileira, dois são borbenses. Em 2016, Thiago Vilaça, 13, foi o primeiro a ser chamado e no mês passado foi a vez de Ryan Christian Coelho da Silva, 14, na categoria cadete, conquistar a vaga no time Brasil, onde  representará o Amazonas no Campeonato Sul-Americano de Caratê, que acontecerá entre os dias 26 de junho e 2 de julho, em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia.

“Estou muito feliz por ter entrado na seleção brasileira. A partir de agora vou focar nos treinos mais do que focava antes. Se treinava quatro horas por dia, agora vou treinar dez”, comemorou o jovem carateca, que brilhou na seletiva disputada em Caruaru (PE).

Projeto Fênix

Com cerca de 40 mil habitantes, Borba tem se tornado a capital amazonense do caratê. E isso acontece muito graças ao trabalho incansável da professora Rosely Pantoja, 30, que como a ave mitológica, não deixa a Academia Fênix Karatê “virar cinzas”.

Professora Rosely não dá moleza aos seus pupilos (Foto: Antônio Lima)

“Na nossa academia temos mais de 40 atletas. No ano passado nós tínhamos mais de cem, só que ficamos sem o local para trabalhar e a gente levou a academia pra sala da minha casa”, conta Rosely lembrando que seu dojô já peregrinou até em um terreno atrás do cemitério de Borba. “Já montamos a academia em vários locais do nosso município. Até atrás do cemitério de Borba nós já treinamos”, comentou a professora.

Todo dia um combate

Treinando às vezes sem a alimentação adequada, Ryan Christian ralou muito durante a preparação à Seletiva como conta Rosely. “Às vezes ele chegava comigo e dizia que não tinha almoçado e nós comprávamos R$ 1 de ovo e R$ 1 de salsicha e era o que ele comia antes do treino”, relembra.

Borba Olímpica

“Meu sonho é disputar uma Olimpíada e ser campeão”. A frase de Ryan Christian pode sair do campo dos sonhos e virar realidade. O caratê está no programa Olímpico de Tóquio 2020 e a professora Rosely já traçou metas para seus pupilos.