Isabelle ValoisManaus

Apesar do Ministério da Saúde (MS) ter anunciado, na terça-feira, a ampliação do público-alvo das ações de imunização, o grande desafio no Amazonas é vacinar meninos e meninas contra o Papiloma Vírus Humano (HPV). Segundo a coordenadora do Programa Estadual de Imunização da Fundação em Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS), Izabel Nascimento, pais de adolescentes devem se conscientizar e levar os filhos às unidades básicas de saúde para serem imunizados.

A medida do MS, de ampliar o público alvo para a  vacinação contra HPV para meninos de entre 11 e 15 anos incompletos, tem como objetivo aumentar a cobertura vacinal nos adolescentes do sexo masculino, após a realização de estudos que comprovaram a eficácia da imunização em homens, além de reduzir o desperdício da vacina. Antes, a vacina estava liberada apenas para adolescentes do sexo masculino de 12 e 13 anos.

Para Izabel Nascimento, o maior desafio no Amazonas é sensibilizar e conscientizar os pais de adolescentes sobre a importância da vacina. “Se o pai não levar, o adolescente, seja menino ou menina, não vai sair de casa para receber uma vacina. O pai e a mãe têm que entender a importância e a necessidade desses jovens serem imunizados”, orientou.

“Os pais têm na cabeça que vacina é para criança, para recém nascido, mas não é bem assim. Essa vacina é fundamental para meninos e meninas e deve ser aplicada as duas doses, não adianta tomar a primeira e esquecer”, disse.

A coordenadora explicou que a vacina está disponível em todas as unidades de saúde da capital amazonense e nos municípios do interior. “A vacina está lá, disponível o ano todo, o que falta é a iniciativa dos pais em levar esses adolescentes às unidades. Vacina tem, falta é consciência. Em algumas escolas do interior há até campanhas de vacinação”, contou.

O papilomavírus humano (HPV) é uma doença sexualmente transmissível, com mais de 100 tipos diferentes de infecção. Nos casos mais graves, o HPV pode causar o tipo de câncer com maior incidência no Amazonas – o de colo de útero. A vacina, no entanto, previne contra o vírus  em 90% dos casos.

Meta no AM é vacinar 80% do público alvo após mudança
A meta para esse ano, após a ampliação da faixa etária, é vacinar 80% da população de aproximadamente 160 mil meninos de 11 a 15 anos. Cerca de 80 mil adolescentes entraram para o grupo alvo da imunização.

Segundo a Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), a estratégia de vacinar meninos começou no início de janeiro,  com o objetivo de proteger contra cânceres de pênis, garganta e ânus, que são doenças diretamente ligadas ao HPV. No caso das meninas, a vacina é aplicada desde 2013, no Amazonas.

Esse ano, segundo dados da FVS, o Amazonas recebeu 55.300 doses da vacina HPV. De janeiro junho, 26,6% da população de 84,3 mil meninos com 12 e 13 anos tomaram a primeira dose da vacina. Meninos e meninas devem tomar duas doses da vacina HPV, com intervalo de seis meses entre elas.

Para conscientizar os meninos na busca da vacina, o Ministério da Saúde planeja, para o mês de julho, período de férias escolares, a realização de uma campanha direcionada a este público, com o intuito de aumentar a cobertura vacinal nessa população.

Além disso, a vacina de HPV também fará parte do elenco de vacinas a serem ofertadas na Campanha de multivacinação, que acontecerá de 11 a 22 de setembro. O Dia D da campanha de vacinação será dia 16 de setembro.

233 mil meninas, entre 9 e 15 anos, tomaram a primeira dose da vacina contra HPV no Amazonas. Enquanto 164 mil receberam a segunda dose da vacina.

Foto: Clovis Miranda