Em uma das mais tumultuadas assembleias já realizadas pela Associação Folclórica Boi Garantido, foi aprovada na noite de sábado (16) a prestação de contas da gestão do presidente Adelson Albuquerque e do Vice Fábio Cardoso. A reunião foi presidida pelo radialista Nelson Brelaz, sócio do boi

A leitura do parecer do Conselho Fiscal, que tem a responsabilidade de analisar a prestação de contas, foi feita pelo presidente da comissão, Ozório Azedo. Ao final da leitura, começou uma grande confusão porque Brelaz teria reduzido para cinco o número de de sócios que poderiam fazer questionamentos acerca do que foi apresentado.

Em meio à confusão, um dos sócios se aproximou da mesa e rasgou um exemplar do Estatuto da Associação, argumentando que a diretoria atual, para aprovar suas contas, havia passado por cima do que determina a lei máxima que rege os assuntos da entidade.

Uma guarnição da Policia Militar foi chamada ao local para acalmar os ânimos. A assembleia teve prosseguimento e o sócio Antônio Andrade, que também é candidato à presidência, foi o primeiro a formular perguntas ao Conselho Fiscal. Outros sócios usaram a palavra para criticar o parecer do Conselho Fiscal. Por pouco o compositor Tadeu Garcia não foi agredido por uma sócia enquanto falava. Outra confusão se instaurou.

Ao final dos questionamentos, o parecer do Conselho Fiscal, aprovando a prestação de contas da atual diretoria do boi, foi posto em votação. Mais da metade dos sócios se retiraram da Cidade Garantido para não vota. A outra parte dos sócios aprovou o parecer.

Tadeu de Souza
EM TEMPO