Joana Queiroz Manaus (AM)

Eliseu Fernandes Saraiva acusado de ter assassinado no último domingo (23) com um tiro o cunhado, o sargento da Polícia Militar José Nazareno Caetano Nunes, 48, se apresentou na tarde de hoje, por volta das 14h, na Delegacia Interativa do Município de Manacapuru, distante 85 quilômetros de Manaus.

Ele chegou acompanhado de um advogado e logo recebeu voz de prisão do delegado Rodrigo Torres que tinha nas mãos um mandado de prisão preventiva expedido pela juíza da Comarca de Manacapuru, Danielle Monteiro Fernandes.

Eliseu confessou que travou luta corporal com ele, negou ter feito o disparo, disse que não sabe como aconteceu e que acredita que o cunhado se matou. A história, de acordo com os policiais, não convenceu. Ele vai ficar preso preventivamente na delegacia.

Eliseu contou que no dia do crime, o sargento estava discutindo com a sua mulher e começaram um empurra-empurra. O suspeito disse que interveio em defesa da irmã e que ele e a vítima foram parar no quintal onde travaram luta corporal e nesse momento saiu o disparo. Ele fugiu e se refugiou na casa de parentes.

O crime aconteceu na comunidade do Calado, Zona Rural de Manacapuru. Por volta das 10h, no sítio do militar onde ele estava com a família. O sargento morreu na hora e o cunhado fugiu. O crime foi registrado pela mulher do policial na delegacia do município.

O corpo de Nazareno foi removido pelo Instituto Médico Legal (IML) para Manaus. O policial militar era lotado no Comando de Policiamento de Área Norte (CPA). José Nazareno é natural do município de Tabatinga e tinha 25 anos de serviços prestados à Polícia Militar do Amazonas.

 

Policial Civil e Eliseu Fernandes Saraiva. Foto: Divulgação